Operador de incinerador de lixo Burnaby processado por questões de poluição

O Distrito de Esgoto e Drenagem da Grande Vancouver está processando a Maxxam Analytics International Corp. e a Covanta Burnaby Renewable Energy ULC por supostamente não terem testado amostras de cinzas volantes da instalação de transformação de resíduos em energia do distrito em Burnaby.

O distrito entrou com um aviso de ação civil na Suprema Corte de BC em 16 de outubro. Covanta, de acordo com a reivindicação, opera a planta de incineração sob contrato com o distrito, e a instalação gera cinzas volantes que devem ser tratadas antes de deixar a planta e testadas mensalmente para garantir a conformidade com os regulamentos de resíduos perigosos.

As cinzas volantes não perigosas são coletadas e descartadas no aterro de Cache Creek, diz a alegação. As amostras analisadas pela Maxxam no verão e outono de 2012, no entanto, voltaram indicando altos níveis de cádmio que excediam os níveis aceitáveis permitidos para descarte no aterro.

Os resultados, afirma o distrito, “colocaram em questão a eficácia do tratamento de cinzas volantes” na instalação, forçando o requerente a incorrer em custos ao exigir mais amostragem e testes, investigando a causa dos altos níveis de cádmio e encontrando uma disposição alternativa local para cinzas volantes em Alberta. Depois que o Ministério do Meio Ambiente atingiu o distrito com uma carta consultiva de não conformidade, o reclamante contratou “consultores, especialistas e advogados” para ajudar na investigação.

Uma auditoria do laboratório da Maxxam descobriu que ele não seguia métodos adequados, chamados de “Procedimento de Lixiviação de Característica Tóxica” e “Método 1311 da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos” para testar as cinzas volantes, de acordo com o processo. A avaliação do Ministério do Meio Ambiente concluiu que os resultados do Maxxam não eram confiáveis devido a procedimentos de teste inadequados e concluiu que “os protocolos de controle de qualidade e garantia de qualidade da Covanta na WTEF [Instalação de Resíduos em Energia] não foram desenvolvidos o suficiente para identificar se estava ocorrendo lixiviação ou se havia um problema com as cinzas volantes tratadas e / ou o sistema de tratamento estava ocorrendo ”, afirma a reclamação. Além disso, o ministério descobriu que Covanta não podia facilmente “fornecer garantia de que as cinzas volantes tratadas atendiam aos requisitos de resíduos perigosos sob o Regulamento de Resíduos Perigosos”.

O distrito busca indenização por negligência, deturpação, desempenho negligente de um serviço e quebra de contrato. As alegações não foram provadas em juízo e os réus não apresentaram resposta à reclamação até o momento.

por: http://prod-admin1.glacier.atex.cniweb.net:8080/preview/www/2.2551/2.2759/2.2742/1.1493460#

Arabic Arabic English English French French German German Italian Italian Portuguese Portuguese Russian Russian Spanish Spanish
Open chat